terça-feira, 16 de agosto de 2011

COSENZA, A TERRA DOS MEUS ANTEPASSADOS

Sou itálo-brasileiro com dupla cidadania e a minha familia –LEMELA – é originaria de COSENZA, também conhecida como a terra dos “Bruzios” e uma cidade italiana de apenas 70 mil habitantes, porém capital da Provincia do mesmo nome na Calabria, ao sul da Itália.

COSENZA, a capital da província mais ao norte da Calábria, uma das mais antigas da região e centro de uma aglomeração com cerca de 270 mil habitantes. Faz fronteira a norte com a Basilicata (província de Potenza e província de Matera), a este com o Mar Jónico, a sul com província de Crotone e província de Catanzaro e a oeste com Mar Tirreno.

A cidade ocupa uma área de 237,2 km ², a partir do nível do mar e a uma altura de 238 m.

A CALABRIA é uma região do sul da Itália que ocupa o “dedo” da península itálica ao sul de Nápoles. Tem 2,09 milhões de habitantes, 15.079 km² e sua capital é Catanzaro. Tem limites ao norte com a Basilicata, a oeste com Mar Tirreno, ao leste com o Mar Jônico. A Calábria é separada da Sicília pelo Estreito de Messina. Suas provincias são: Cosenza, Catanzaro, Crotone, Reggio Calabrio e Vibo Valentia.


Confira vídeo com fotos “città di Cosenza"



HISTÓRIA:

A origem da cidade de Cosenza data do século IV AC, quando toda a área do Vale da cratera foi considerada estratégica para o povo de Bruzio , que a transformou em capital, dando-lhe o nome de Cosentia. A cidade desenvolveu-se rapidamente e se tornou a capital de um vasto território, controlador de quase todas as cidades da Magna Grécia Calabria, que uma após a outra caiu sob os ataques constantes dos Bruzios.

A localização estratégica da cidade deu coragem aos Bruzios para enfrentar e se defender por muito tempo da dominação do Império Romano, mas finalmente eles conseguiram subjugar a cidade e todo o seu povo. Sob o reinado do imperador Augusto, Cosenza teve imensa prosperidade, até a chegada de Alaric, rei dos visigodos, que após o saque de Roma, morre em Cosenza e foi enterrado sob o Rio Busento em 410 D.C.

Na Idade medieval viveu um novo período próspero (nos séculos VIII e IX), quando primeiro a cidade esteve sob o domínio dos lombardos, em 568 D.C., e depois dos bizantinos (526 D.C.).

Em 560, o novo e enérgico rei lombardo Alboíno derrotou os vizinhos gépidas, os fez seus súditos e, em 566, casou sua filha Rosamund com o rei Cunimond. Na primavera de 568, Alboíno liderou os lombardos junto com outros povos germânicos, bávaros, gépidas, saxões e búlgaros, através dos Alpes, com uma população de 400.000 a 500.000 pessoas, para invadir o norte da península Itálica, derrotando os bizantinos e fundando o Reino Lombardo.

Violentamente disputada entre sarracenos e os lombardos, a cidade foi quase destruída e reconstruída em 988 D.C. Durante o período dos Normandos, a cidade teve a coragem de se rebelar em várias ocasiões, mas nunca alcançou grande sucesso, tornando-se mais tarde o ducado da Suábia e uma das cidades favoritas do imperador Frederico II da Germania, que muito ajudou a cidade economicamente e culturalmente. Durante o período de Angevin a cidade foi cena de banditismo generalizado e um período de miséria profunda. Depois de quase um século o rei Luís III do Condado de Anjou, mais tarde o primeiro rei angevino da Sicília e Sul da Itália, que com a sua esposa decidiram permanecer no castelo dando à cidade o título de centro do Ducado da Calabria.

No século XIV, a península Itálica foi campo de batalha para os franceses, os aragoneses e os suíços. No final do século XV, a Itália foi invadida pela França e, mais tarde, pelo imperador Carlos V, que subjugou a maior parte do território em 1550. A França, pelo Tratado de Cateau-Cambrésis, renunciou às suas pretensões à parte transalpina (1559), e os aragoneses, herdeiros de Carlos V na Itália, dominaram o sul da península durante dois séculos.

Durante o período aragonês a cidade se tornou a capital da Calábria Citra Naethum. Nessa época foi conquistada pelos espanhóis e tornou-se um dos centros mais ativos da cultura do sul. O século XVI assistiu um florescimento de Cosenza impressionante, marcado pelo renascimento humanista e intelectual, de modo que era chamada de Atenas da Calabria. O desenvolvimento econômico e a riqueza da Itália permitiram um grande desenvolvimento cultural e artístico, conhecido como Renascimento, que se irradiou pela Europa.

O domínio espanhol e austríaco (séculos XVII-XVIII), o desmembramento extremo do país e o deslocamento das vias marítimas em detrimento do Mediterrâneo provocaram o declínio econômico da península, centro da Contra-Reforma. Pouco a pouco, as velhas cidades perderam sua influência em proveito do Reino da Sardenha (casa de Saboia).
Seguindo houve a dominação austríaca até a guerra entre os Bourbons do império espanhol, que a conquistaram.

Entre 1820 e 1821, conspirações de sociedades secretas (carbonários) contra o retorno do absolutismo, duramente reprimidas. Entre 1831 e 1833, eclodiram novas revoltas, inspiradas pelo republicano Mazzini, fundador do movimento Jovem Itália.

As insurreições liberais e nacionais não obtiveram resultado em 1820, 1831 e 1848. As novas forças do Risorgimento criaram esperanças de independência dos governos austríaco e francês. O Reino da Sardenha (com Carlos Alberto e, mais tarde, Vítor Emanuel II e seu ministro Cavour) assumiu a sua liderança e obteve o apoio da França. Em 1859, as tropas franco-sardas derrotaram a Áustria (campanha da Itália), que foi obrigada a deixar a Lombardia. Em 1860, a França recuperou Nice e a Saboia. A união dessas regiões com o Piemonte deu origem a movimentos revolucionários na Itália central e no Reino de Nápoles, conquistado por Garibaldi (general e herói italiano). Em 1861, houve a proclamação do reino da Itália, tendo Vítor Emanuel como soberano e Turim (substituída por Florença a partir de 1865) como capital. Em 1866, o reino ampliou-se com a inclusão do Vêneto, graças à ajuda prussiana. A unificação completa do país, entretanto, foi concluída apenas em 20 de setembro de 1870, quando Roma foi conquistada, tornando-se a capital. Em consequência da unificação, a Itália desenvolveu amplamente seus recursos econômicos e militares.

Durante o Risorgimento, em Cosenza, se manifestaram movimentos liberais e patriotas, quando no dia 15 de março de 1844 depois de uma amarga luta armada contra os Bourbons, houve a retomada do poder. Após Cosenza participou de muitos eventos do Risorgimento, inclusive as guerras de unificação da Itália, quando meu bisavô tornou-se amigo de Garibaldi, sendo convencido por este e sua esposa, Anita Garibaldi, a imigrar para o Brasil, fugindo de perseguições politícas.

Confira vídeo com fotos “Immagini della provincia di Cosenza"




No início do século XX começou o desenvolvimento da cidade, graças ao trabalho de liberais como Thomas Arnone, que mais tarde colaborou com o regime fascista. O estímulo de novas atividades nos bairros existentes e a criação de novos distritos foram decisivos para a revitalização da cidade. Mesmo a cidade se mostrando favorável aos fascistas e os slogans políticos do Duce, Cosenza foi bombardeada durante a guerra de forma consistente e em 1943, com o fim da guerra, viu-se reduzida a duras condições sócio-econômicas.

Com o boom econômico da Europa após a Comunidade Econômica Européia (CEE) - atual União Européia, começou uma rápida recuperação financeira em Cosenza, graças a uma expansão de sólida construção e planejamento. A ação administrativa foi caracterizado pela política do Partido Democrata Cristão e um governo de centro-esquerda. A população aumentou e chegou a 110.000 habitantes em 1981, mas depois foi reduzindo até a chegar ao número atual. Bairros residenciais enormes foram constuidos, surgindo também o fenômeno da exclusão social, com em outras cidades do sul da Itália.

Apesar da cidade de Cosenza ter chegado a um teto de cerca de 110.000 habitantes no censo de 1981, durante as últimas três décadas tem sofrido o fenômeno da desurbanização em benefício de municípios contíguos como Rende (33,07% a mais que em 1981), Castrolibero (+ 40%), Mendicino (74,62%), Montalto Uffugo (51%), Marano Principato (129,72%), etc. No intervalo de apenas 30 anos perdeu cerca de 40.000 habitantes, um decréscimo de 34,26 %. Este processo causado principalmente pela expansão da cidade para o norte e uma busca de melhor qualidade de vida longe do caos da cidade, junto com o desenvolvimento urbano envolvente, levou à criação da área urbana integrada de cerca de 260.000 habitantes, uma policêntrica forma de aglomeração em que se encontram elementos de continuidade física, planejamento, cultural e social. Há uma manifesta desproporção entre o peso demográfico da cidade principal e do tamanho real da área urbana. Quase um em cada dois natos de Cosenza não tem residência no município e mora nas cidades vizinhas.

Confira vídeo “turismo in Calabria"





Fonte: http://www.comune.cosenza.it/Pagine/Default.aspx

http://viagenslacoste.blogspot.com/2011/03/cosenza-fotos-soltas.html

http://www.flickr.com/photos/remozolli/2340732384/

http://www.pippogatto.it/cosenza/cosenza_eng.html

Wikipédia italiana


Se você gostou dessa postagem, veja também:

15/05/10 - Brugges, na Belgica, um passeio imperdível
18/05/10 - Chegada ao Brasil da família LEMELA
26/05/10 - Milão, terra de brasileiros
05/06/10 - Buenos Aires, inesquecível
14/06/10 - Brasileiros vivendo no exterior
17/06/10 - Você conhece Londres, a terra da Rainha?
10/09/10 - Holanda, o país que serve de exemplo para o mundo
15/10/10 - Paris, inesquecível

4 comentários:

  1. Estou escrevendo sobre Cosenza tambem, moro atualmente la , estou no Brasil de ferias , vc conhece muitos brasileiros ali? Eu nao conheci quase ninguem ainda , gostaria de fazer amizade e trocar experiencias . Beijos e parabens pelo blog!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente não conheço ninguém, não sobrou algum parente LEMELA para contar a história (risos), mas como tenho passaporte italiano, minha inscrição eleitoral é por Cosenza, então, acabo amando-a, mesmo sem conhecê-la ou ter qualquer parente por ai.

      Excluir
    2. Bom dia, meu nome é Igarí, e meu filho está tentando tirar o passaporte italiano (mora no Brasil), e está faltando somente a certidão do tataravô que é nascido em Vicenza, nome Daniele Gallo; não conseguimos com a família nenhuma data. Será que é possível vc conseguir, por favor, nome de algum cartório, email, qualquer coisa, ou a certidão? O que você precisar pagar nós lhe enviamos.
      Ficaria muita agradecida
      Abçs
      Igarí

      Excluir
  2. Olá,
    como vi que conhece bem Cosenza talvez possa me ajudar. Estamos indo em outubro próximo para lá e estou comprando trem para Roma e aparece como opção de saída Cosenza, Cosenza Centro e Cosenza Casali, saberia me dizer onde fica melhor?
    Obrigada,
    Ana

    ResponderExcluir